Igreja da Ciência Divina

Crer

Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão, se não houver quem pregue?

Romanos 10:14

Dr. Joseph Murphy

“Cada pensamento é uma causa e cada condicionamento é um efeito. Por essa razão ‘e essencial que você tome cuidado com todos os seus pensamentos, de modo a ter apenas situações e condições favoráveis.”

Crenças da Ciência Divina  

A vida é contínua.

Ela surge da Vida Divina, que é boa em todas as suas manifestações. 
Há apenas um Poder em todo o Universo, o Poder das Leis da Natureza que chamamos Deus, ou Absoluto. 
Não há o mal exceto aquele que é feito pelo homem. 
O estado normal do homem é de saúde abundante. 
O Propósito Divino das Leis da Natureza é expressar a Alegria de Viver.

Ciência Divina

Nossas Crenças

O Ser segundo a Ciência Divina

Deus é tudo, tanto o que é visível, portanto toda a Natureza, quanto o que é invisível. 
Sua Presença, Sua Mente, Seu Poder é tudo. 
As Leis da Natureza são tudo, é a vida perfeita, o amor perfeito, e a substância perfeita. 
O ser humano é a expressão individualizada das Leis da Natureza (Deus), é sempre um com a Natureza (Deus), com a vida perfeita, com o perfeito amor, e a perfeita substância. 

As bases da Ciência Divina

A verdade fundamental da Ciência Divina é que a Natureza é Ilimitada, já que contem a onisciência (visto que atua em toda a parte da mesma forma), a onipresença (já que está em toda parte), e não faz acepção de pessoas (já que todos estão sob a influência de suas leis, independente de crença, status social, raça, ou sexo)Deus (a Natureza), é igualmente presente onde quer que seja e é o TODO de tudo. 
Deus é o conjunto das Leis da Natureza, absoluto, imutável, eterno, manifesto em toda a criação. 
A conclusão lógica é que não pode haver outra presença além da presença de Deus; nenhum outro poder além do poder de Deus; nenhum outro conhecimento além do conhecimento de Deus. 
Se Deus é onipresente, o que acontece com o mal?  O que acontece com a escuridão que preenche um quarto quando a luz é desligada?  A escuridão não sai e vai para algum outro lugar, ela simplesmente não existe na presença da luz.  A escuridão não é uma realidade, é meramente a ausência da luz.  Da mesma maneira, quando o pensamento da pessoa está centrado na onipresença de Deus aplicando as Leis da Natureza, o pensamento do mal não sai e continua a existir em algum outro lugar; ele simplesmente se torna não existente.  O mal não tem realidade em si mesmo; ele pode ter existência apenas quando alguém permite, através de sua crença nele. 

A verdade imutável segundo a Ciência Divina

Ciência Divina se baseia na verdade imutável que Deus é a Natureza e portanto constitui a natureza de todos os seres e que Deus preenche todas as manifestações visíveis e invisíveis da existência.  Esta verdade nunca muda.  Toda verdade é tão disponível para a humanidade de nossos dias como foi para todos desde tempos imemoriais.  Nada que uma pessoa faz ou deixa de fazer irá separá-la Natureza, a Fonte de onde fomos criados.  Paulo nos lembra: “… nEle vivemos, e nos movemos, e existimos;” At (17.28)   Um dos fundadores da Ciência Divina escreve que “A verdadeira oração não pede por mais sabedoria, mais suprimentos, ou mais benefícios.  A Natureza Infinita em tudo manifesta não pode nos dar mais do que Ela Mesmo.   Quando Ela Se reparte conosco nos dá tudo que possamos possivelmente necessitar.  Nossa parte é aceitar.”  A Ciência Divina ensina que a plenitude da Natureza está continuamente brotando através da mente do ser humano, limitada apenas pela maneira como a pessoa pensa e sente a respeito da vida em geral e a respeito de certas condições e circunstâncias em particular.  Assim sendo, toda mudança começa como uma atividade mental e através da lei da causa e efeito, a mente manifesta como uma experiência pessoal.   A evidência física de qualquer ensinamento não se fundamenta na autoridade ou história de uma organização, mas na habilidade do indivíduo provar o ensinamento.  Por isso a Ciência Divina é reconhecida como um ensinamento que não se fundamenta na hierarquia mas na demonstração desses princípios através da vida pessoal e do trabalho.